terça-feira, 3 de Março de 2009

TpM - Transportes Públicos Moçambique

Olá outra vez, pretendo com este post mostrar-vos, apesar de muito superficialmente, as alternativas de deslocação que são apresentadas tanto aos locais como a todos os sortudos que têm oportunidade de visitar a cidade de Maputo.

Existem em geral -para além dos também muito utilizados pés - 4 soluções para quem deseja ir de um ponto A a um ponto B na metrópole e para fora dela, são eles: o machimbombo, o "chapa", o taxi e claro, a mundialmente famosa boleia que dispensa explicação. Dando apenas relevo aos três primeiros, temos:



O Taxi: geralmente com a publicidade rosa do Millenium BIM estampada que os caracteriza, são uns saloons velhos que costumam tanto andar com o depósito na reserva que por vezes falta mesmo a gasolina antes de se chegar ao destino (nada que não se resolva com uma chamada rápida para o estafeta motorizado que entrega uma lata do dito combustível e com um desconto ao cliente pelo incómodo da paragem). Dado importante é o facto de se negociar o preço da viagem antes de entrar no taxi, caso contrário, a ausência de taxímetro (a maior parte das vezes) é desculpa perfeita e o principal factor de inflação para o valor das viagens... Primeiro acorda-se o preço, depois entra-se :)



O Machimbombo: este é um pequeno grande autocarro de 54lugares que normalmente é utilizado para deslocações entre cidades ou da cidade para os arredores. Caracterizados pelo seu constante estado de sobrelotação humana e não só (sim, já vi um porco no meio da mancha de pessoas!), o fumo que emanam e o seu estado de degradação visual denunciam os anos que já têm e os imensos kms percorridos antes de chegar às mãos deste povo que agradece humildemente qualquer dádiva que contribua para facilitar o seu duro dia-a-dia. Circulam devagar na tentativa de equilibar o excessivo peso que transportam e poupar os amortecedores frágeis e desequilibrados face às crateras que sem aviso surgem pelo caminho, fazendo estremecer toda aquela massa de gente.



O "CHAPA": este é sem dúvida, um dos meus fenómenos preferidos nesta cidade. Na minha opinião, é um exemplo fantástico entre visão empreendedora e a oportunidade de negócio fruto da necessidade do povo. É ao mesmo tempo, uma criação completamente abominável em termos da realidade europeia que viola provavelmente 9 em cada 10 regras de segurança automóvel e ocasionalmente um ou outro Direitos Humanos:) Mas eu gosto! Aliás apaixonei-me pelo brilhantismo da ideia assim que me explicaram o seu funcionamento...



Em geral, os chapas são umas carrinhas Toyota Hiace de 9lugares originárias de outros pontos do globo e que cá chegam com a finalidade de serem abatidas para sucata, pondo termo às suas penosas vidas de transporte colectivo. O que acontece é que de acordo com a realidade local, desde que tenha rodas, dá para andar, e desde que ande, pode fazer muita gente feliz a um baixo custo... e quando digo baixo, falo num preço fixo de 5 ou 10meticais (aprox. 0,15€ ou 0,30€) para qualquer ponto da cidade, perto, longe, com chuva ou com Sol. Daí a origem do nome Chapa: chapa 5 ou chapa 10!



O sistema é simples, cada chapa tem um proprietário, um condutor/chapeiro e um colector. O veículo tem nos vidros indicado o nome da origem e do destino (ex.: Benfica/Xipamanine), existe um sítio onde se apanha, mas nunca tem hora certa de passagem, o que dada a quantidade de chapas a circular não parece constituir problema. A pessoa entra, paga ao cobrador a viagem, que por sua vez, no final do dia entrega o $ ao proprietário e recebe uma comissão.



Claro que, pondo nestes termos, qualquer ser humano com a mínima visão empreendedora, instantaneamente percebe que quantos mais clientes levar e mais depressa fizer o trajecto, mais moedas vai colectar. Resultado: é comum ver-mos os chapas com as suas portas enferrujadas (e às vezes sem portas ou seguras por uma corda!) a assapar por entre o trânsito caótico com 20 ou 30 pessoas ensardinhadas, fazendo manobras que fariam qualquer português mau condutor bradar aos céus... isto inclui andar por cima dos passeios para contornar as filas e, como mais recentemente assisti, inverter a marcha em plena via rápida à saída de Maputo-Matola. Não houve palavras para o que senti, o medo de ver alguém em sentido contrário na auto-estrada mesmo ali, à minha frente e descrença por ver a normalidade como todos agiam perante aquilo, a minha reacção natural foi a de soltar uma gargalhada e pensar "Isto não está a acontecer, é surreal...!!"






O chapa é um elemento-chave tão essencial à sobrevivência da cidade na ausência de um sistema de transportes alternativo que sempre que há ameaça de aumento do preço dos mesmos, os habitantes revoltam-se, há distúrbios, incendeiam-se carros e chega até a haver mortos, na última greve deste Sábado sucumbiram 2pessoas...

Para além destes, mas para distâncias maiores fora da cidade, existem também as linhas férreas ainda do tempo colonial (CFM) e os voos domésticos (LAM) que são bastantes baratos e permitem aos visitantes ver sítios únicos no Norte deste enorme e lindíssimo país.



A todos os que vierem a Maputo, o meu conselho é: andem de "chapa", nem que seja por uma vez... é uma experiência que nos deixa com um sorriso nos lábios :)





Beijos&Abraços
Nuno


6 comentários:

  1. Concordo plenamente... Andar de chapa pelo menos uma vez é essencial!! O feeling é único e impossível de caracterizar. Melhor ainda, só andar de chapa com o Sr. Joaquim, a pessoa que me iniciou nos percursos de Maputo e com que classe e engenho, duvido na vida encontrar alguém que com tanta técnica se sobreponha às filas, aos sinais, aos outros carros e aos peões de forma aparentemente tão milimétrica!!

    Viva o chapa!!:)

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente... Andar de chapa pelo menos uma vez é essencial!! O feeling é único e impossível de caracterizar. Melhor ainda, só andar de chapa com o Sr. Joaquim, a pessoa que me iniciou nos percursos de Maputo e com que classe e engenhome ensinou a ver a faixa de rodagem com outros olhos, duvido na vida encontrar alguém que com tanta técnica se sobreponha às filas, aos sinais, aos outros carros e aos peões de forma aparentemente tão milimétrica!!

    Viva o chapa!!:)

    (agora sim!)

    ResponderEliminar
  3. Oii nuninho..adorei o teu blog :)
    Continua a escrever novidades e novas experiencias que parecem nao ter fim..um grande beijinho com muita saudade.

    ResponderEliminar
  4. Um sorriso nos lábios se conseguires chegar ao fim da viagem inteiro, lol... E ainda nós reclamamos SMTUC xD. Se não tiver sucesso como Engenheira vou praí ser chapa :p
    Beijoca Sr. Rocha.

    ResponderEliminar
  5. Aposto que depois de andares nessas autenticas montanhas russas ambulantes nao te vais quiexar tao cedo da minha condução!

    P.s - Olha esqueces-te o meio de transporte das crianças! A cacunda das mães!

    ResponderEliminar
  6. olá!! adoramos o teu blogle. mas eu(rita)ia sendo apanhada pela minha "chefe" de tao concentrada e divertida que estava a ler e a ver as fotas das tuas historias... continua a relata las que está espectacular..ja ag estás um fotografo de 1a:)
    abraço e beijinhos celso&rita

    p.s o celso diz para teres cuidado com as"mulatinhas"

    ResponderEliminar